Seja Bem Vindo ao Blog Boa Nova!

Seja Bem vindo ao Blog Boa Nova! Faça a sua doação, e ajude-nos aevangelizar. Precisamos de você para publicar o nosso novo site. Clique na aba FALE CONOSCO e envie-nos a sua mensagem.

domingo, 9 de agosto de 2015

É possível casar com uma pessoa de outra religião?

É possível namorar e casar com uma pessoa de outra religião? Esse casamento é válido?
A Igreja orienta seus fiéis e lhes pede que vivam a fé que professam: a fé católica. Por isso, desde pequenas, as crianças são batizadas, fazem a catequese, são acompanhadas pelos seus pais e padrinhos, pelos catequistas e todo povo de Deus, e são chamadas a serem comunidade para ajudar as pessoas a caminhar na vontade do Senhor.
é possível casar-se com alguem de outra religiao?
Quando uma pessoa caminha na busca pela vontade de Deus, deseja e quer fazer essa vontade em todos os âmbitos. Louvado seja o Senhor por isso! A pessoa tomou consciência: “Devo ser de Jesus”. Nessa caminhada, ela quer fazer a vontade do Pai também no seu relacionamento conjugal, quer encontrar alguém de Deus. Daí, ela encontra alguém de Deus, mas este crê no Senhor com algumas diferenças. É possível namorar assim? É possível casar-se com um protestante? A resposta é sim. É possível casar-se na Igreja Católica com um protestante.
A Igreja chama de “casamento misto” quando uma das partes tem o batismo, mas não é católica; e de “casamento com disparidade de culto” quando uma das partes não é batizada. Neste segundo caso, para ter o casamento válido, é preciso ter a permissão do ordinário local. Outra condição é que o casal deve se comprometer a educar os filhos na fé católica (cf. Catecismo da Igreja Católica 1633 a 1637).
Claro que a Igreja Católica respeita o casamento de dois protestantes, assim como é verdade que há muitas igrejas protestantes que nos respeitam, mas quando um católico se casa na igreja protestante, o casal está assumindo as condições daquela fé, por isso não é válido para a Igreja Católica. Nossos irmãos veem o casamento de uma maneira diferente de nós católicos.
Agora, quem se casa com alguém que professa uma outra fé não terá problemas? Isso não dá para garantir. Já é possível ver as diferenças quando se professa a mesma fé; então, quando não se professa, é possível que haja dificuldades.
Por fim, já atendi pessoas que vivem bem o casamento com a parte que não é católica, e outras que possuem dificuldades por causa da doutrina. Assim, o melhor, o mais recomendável é casar-se com uma pessoa que professe a mesma fé.

Fonte: Canção Nova

segunda-feira, 29 de junho de 2015

Festa de São Pedro, unidade e missão da Igreja

Primeira lição da Festa de São Pedro é a naturalidade, que não se confunde com banalidade
Pedro vem de pedra, Pedro vem de Simão, Simão, irmão de André, Simão companheiro de Paulo, Pedro escolhido para confirmar os irmãos. Pedro, homem escolhido para fundamento, ponto de unidade, ainda que limitado e fraco. Apenas uma brincadeira com as palavras? Uma realidade, diante da qual nos inclinamos respeitosos, pela grandeza da obra realizada por Deus. Celebramos a Festa de São Pedro, e com ela a unidade e a missão da Igreja.
Festa de São Pedro, unidade e missão da Igreja
Hoje, o Sucessor de Pedro tem nome de Francisco, e Francisco, o de Assis, encontrou um dia uma igreja em ruínas, dedicada a São Damião. O Senhor crucificado lhe dirigiu a palavra, pedindo-lhe para reconstruir. Francisco entendeu “igreja” e Jesus queria dizer “Igreja”, a Igreja! Aquela que está sempre em construção, pois, nascida como esposa imaculada do lado do Senhor crucificado, é confiada aos homens e mulheres de todos os tempos, até a volta do Senhor. Como edificá-la? Francisco de Assis entendeu: “Se você quiser servir a Deus, faça poucas coisas, mas as faça bem, pedra por pedra, com esperança de ver Jesus, dia após dia, com alegria!”.

Há poucos dias estive mais uma vez com o Papa Francisco e tive a alegria de estar bem perto dele. Impressionou-me a naturalidade com que se relaciona com as pessoas, fazendo-se um com os cerca de mil e cem sacerdotes reunidos em Retiro na Basílica de São João de Latrão, em Roma. Depois, a profundidade de suas reflexões, destiladas em palavras que entram imediatamente no coração das pessoas. Quando respondia às perguntas feitas pelos padres, dirigia-se logo ao âmago dos problemas apresentados, sem medo dos desafios. Mais uma vez pediu orações a todos os presentes, dizendo com simplicidade “porque eu sou um pecador!”. E a Santa Missa! Celebrada com intenso espírito de fé! Como o Pedro das margens do Mar da Galileia, o Francisco de hoje tem a missão de confirmar os irmãos!

Primeira lição da Festa de São Pedro é a naturalidade, que não se confunde com banalidade. O cristão que se preze convive com os outros com simplicidade, recolhendo tudo o que existe de bom, valorizando os pequenos gestos e as alegrias gratuitas que a Providência de Deus lhe proporciona. Não tem necessidade de empolar-se de afetações ou palavras complicadas. Tudo deve ser vivido com serenidade, aproveitando as lições que são oferecidas a cada momento. Ninguém despreze um sorriso de criança, ou o olhar provocante e esperançoso de um jovem, ou, quem sabe, a pele enrugada de um ancião que testemunha a grandeza dos anos bem vividos! Pedro é pedra do cotidiano! Ao lado dos outros, ele sabe que está trabalhando na terra que é de Deus. Foi também a experiência de outra grande coluna da Igreja, Paulo, confrontado com a diversidade dos apóstolos: “Quando um declara: ‘Eu sou de Paulo’ e outro: ‘Eu sou de Apolo’, não estais apenas no nível humano? Pois, que é Apolo? Que é Paulo? Não passam de servos pelos quais chegastes à fé.
A cada um o Senhor deu sua tarefa: eu plantei, Apolo regou, mas era Deus que fazia crescer. De modo que nem o que planta nem o que rega são, propriamente, importantes. Importante é aquele que faz crescer: Deus. Aquele que planta e aquele que rega são a mesma coisa, mas cada qual receberá o salário correspondente ao seu trabalho. Pois nós somos cooperadores de Deus, e vós, lavoura de Deus, construção de Deus. Paulo, Apolo, Cefas, o mundo, a vida, a morte, o presente, o futuro, tudo é vosso, mas vós sois de Cristo e Cristo é de Deus” (1 Cor 3, 4-9. 22-23). Pedra por pedra!
Um dos desafios de nosso tempo é a superação da superficialidade com que as questões são tratadas, faltando a dedicação e o tempo necessário ao amadurecimento das respostas aos grandes problemas. Carecemos de maior seriedade, estudo, atenção, competência! As pessoas e as situações em que se encontram sejam levadas a sério. Suas eventuais crises não sejam minimizadas com desprezo. Cuide-se que a sua fama seja respeitada, sem espalhar, como folhas ao vento, notícias ou fofocas destruidoras, como infelizmente tem acontecido através de instrumentos preciosos, mas utilizados inadequadamente, como são as redes sociais. O Apóstolo Paulo, sofrendo por causa de “falsos irmãos, intrusos, que sorrateiramente se introduziram entre nós, para espionar a liberdade que temos no Cristo Jesus, com o fim de nos escravizarem” (Gl 2, 5) foi a Jerusalém, confrontou-se com Pedro e os outros, enfrentou os problemas existentes com seriedade, foi, por sua vez, lavado a sério: “Viram que a evangelização dos pagãos fora confiada a mim, como a Pedro tinha sido confiada a dos judeus. De fato, o mesmo que tinha preparado Pedro para o apostolado entre os judeus, preparou também a mim para o apostolado entre os pagãos. Reconhecendo a graça que me foi dada, Tiago, Cefas e João, considerados as colunas da igreja, deram-nos a mão, a mim e a Barnabé, como sinal de nossa comunhão recíproca” (Gl 2, 7-9). Pedra por pedra!
O primeiro Pedro, pescador das águas do Lago de Genesaré, cujas fragilidades não ficaram escondidas, experimentou a grandeza da presença misericordiosa do Senhor. Diante da pesca milagrosa, “Simão Pedro caiu de joelhos diante de Jesus, dizendo: ‘Afasta-te de mim, Senhor, porque sou um pecador!’ Ele e todos os que estavam com ele ficaram espantados com a quantidade de peixes que tinham pescado. O mesmo ocorreu a Tiago e João, filhos de Zebedeu e sócios de Simão. Jesus disse a Simão: ‘Não tenhas medo! De agora em diante serás pescador de homens!’ Eles levaram os barcos para a margem, deixaram tudo e seguiram Jesus” (Lc 5, 8-11). Mais tarde, depois de ter pecado gravemente, por ter negado conhecer Jesus, diante do olhar do Senhor, “chorou amargamente” (Lc 22, 62). O Papa Francisco, quando pede orações, dizendo-se pecador, é o que tem condições para a infalibilidade garantida quando declara as verdades da fé! Pedra por pedra!
Aos padres reunidos em Retiro, o Papa Francisco recomendou algo que serve para todos os cristãos: rezar sempre, rezar muito! Com simplicidade, disse aos sacerdotes que não se assustem se alguma vez “cochilarem” quando estiverem em silêncio diante da presença do Senhor no Tabernáculo! E candidamente acrescentou que isso ocorre também com o Papa!
Recordo-me de tantas pessoas preocupadas com suas eventuais distrações na oração, às quais cabe-me estimular a aproveitarem justamente o “assunto da distração” para tratar com o Senhor, agradecer, pedir, chorar, reclamar, louvar! O coração da oração estará no reconhecimento da presença salvadora do Senhor, parecidos que somos com o Pedro da primeira hora: “Jesus foi à região de Cesareia de Filipe e ali perguntou aos discípulos: ‘Quem dizem as pessoas ser o Filho do Homem?’ Eles responderam: ‘Alguns dizem que és João Batista; outros, Elias; outros ainda, Jeremias ou algum dos profetas’. ‘E vós’, retomou Jesus, ‘quem dizeis que eu sou?’ Simão Pedro respondeu: ‘Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo'” (Mt 16, 13-16). Pedra por pedra!
Fonte: www.cancaonova.com

quarta-feira, 17 de junho de 2015

Vereadores de Cajueiro rejeitam com unanimidade Ideologia de gênero no Plano Municipal de Educação

Sessão Plenária realizada em 17 de junho de 2015
Nesta quarta feira (17), os vereadores do Município de Cajueiro decidiram em Sessão Plenária rejeitar a Ideologia de Gênero no Plano Municipal da Educação. A Câmara suprimiu todos os termos que se referiam aos termos "gênero", "orientação sexual", "identidade sexual" e afins do plano e adequaram a "direitos humanos" e todos os tipos de diversidade.

Os vereadores entendem que o termo é muito complexo e pode causar inúmeras interpretações, um dos motivos pelos quais foi rejeitado. O vereador Netinho Almeida afirmou que o plano deve enaltecer a família, "a família é a base de tudo", afirmou. Deixou claro ainda que todos devemos respeitar as diversidades. Segundo ele, o seio familiar deve tratar sobre essas questões.

A vereadora Fabíola Moura considerou louvável a participação da população na elaboração do PME. O vereador Júnior Melo reiterou que o tema da ideologia de gênero é complexo. Segundo ele, "todos os temas foram tratados com equidade e respeito, combatendo toda e qualquer espécie de discriminação".

O presidente Antônio de Melo agradeceu a toda a sociedade cajueirense por se preocupar com o Plano e reforçou seus agradecimentos aos representantes da Igreja Católica em Cajueiro, Ângela Lima, Davi Henrique e Natan Moreira que também participaram das discussões sobre o tema.


Da Redação do Blog Boa Nova

sábado, 6 de junho de 2015

Leitura Orante da Palavra de Deus - dia 06 de junho de 2015

+ Em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo. Amém!

Vinde Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis, e acendei neles o fogo do vosso amor. Enviai, Senhor, o vosso Espírito e tudo será criado e renovareis a face da terra. Oremos: Deus que instruístes os corações dos vossos fiéis, com a luz do Espírito Santo, fazei que apreciemos retamente todas as coisas, segundo o mesmo Espírito e gozemos sempre de sua consolação, por Cristo, Senhor Nosso. Amém!

Suplique com as suas palavras que o Espírito Santo possa conduzir este momento de oração. Você pode iniciar assim:


Espírito Santo de Deus, vem sobre mim agora, sobre o meu coração. Eu te peço que, nesta hora, tu venhas sobre mim e me dês a graça de ter um coração sincero e aberto a Tua vontade.Vem, Espírito Santo paráclito, consolador, defensor. Eu te entrego a minha voz, os meus ouvidos, o meu olfato, o meu olhar, a minha mente e o meu coração. Te entrego, Espírito Santo, tudo o que sou, para que Tu me conduzas nesse tempo de graça. Eu desejo que tu venhas ordenar todo o meu ser, e que já não seja eu quem reze, mas que Tu que rezes em mim. Continue com as suas palavras..

1. Leitura (Mc 12, 38-44) - O que o texto diz?

sexta-feira, 5 de junho de 2015

Leitura Orante da Palavra de Deus - Dia 05 de junho de 2015


Paz e bem!


É uma imensa alegria rezar com você hoje. Antes de mais nada, deixo algumas orientações para que você possa bem viver este momento único com o Senhor.

Você vai precisar de um local tranquilo, que favoreça a sua oração. Uma bíblia ou liturgia diária. Sugiro que tenha um caderno de oração, em que você anotará tudo aquilo que o Senhor lhe disser através da leitura orante. Ele será de uso pessoal seu, a fim de que, no fim da semana, possa reler as suas anotações e não esquecer-se daquilo que foi dito em oração.

+ Em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo. Amém!

Vinde Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis, e acendei neles o fogo do vosso amor. Enviai, Senhor, o vosso Espírito e tudo será criado e renovareis a face da terra. Oremos: Deus que instruístes os corações dos vossos fiéis, com a luz do Espírito Santo, fazei que apreciemos retamente todas as coisas, segundo o mesmo Espírito e gozemos sempre de sua consolação, por Cristo, Senhor Nosso. Amém!

Suplique com as suas palavras que o Espírito Santo possa conduzir este momento de oração. Você pode iniciar assim:

quinta-feira, 4 de junho de 2015

Adoração ao Santíssimo Sacramento e a Leitura Orante da Bíblia: Como fazer?

Qual o sentido da adoração ao Santíssimo Sacramento? Por que devo visitar Jesus constantemente?

Marta e Maria

Temos passado por diversas evoluções e a nossa vida tem mudado. Estudamos, trabalhamos, precisamos buscar as crianças na escola, arrumar a casa, enfim. Mas, talvez estejamos esquecendo do essencial: Jesus Cristo.

O evangelista já narra nas Sagradas Escrituras o amor tão grande que Marta tinha por Jesus. Esse amor fez com que ela pensasse em tudo: Arrumar a casa impecavelmente para receber o mestre, fazer um delicioso almoço, tirar a poeira dos móveis, trocar as tolhas por outras mais novas, limpas, perfumadas! Que belo! Era tudo muito lícito e agradável. Mas, Marta percebeu uma coisa: Maria não estava muito preocupada com essas coisas, pelo contrário, estava num conversa muito descontraída e agradável com Jesus.

Corpus Christi: A Eucaristia é o alimento para nossa vida

A Palavra meditada hoje está em São João 6,51-58:
51. Eu sou o pão vivo que desceu do céu. Quem come deste pão viverá eternamente. E o pão que eu darei é a minha carne, entregue pela vida do mundo”.
52. Os judeus discutiam entre si: “Como é que ele pode dar a sua carne a comer?”
53. Jesus disse: “Em verdade, em verdade, vos digo: se não comerdes a carne do Filho do Homem e não beberdes o seu sangue, não tereis a vida em vós.
54. Quem se alimenta com a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia.
55. Pois minha carne é verdadeira comida e meu sangue é verdadeira bebida.
56. Quem se alimenta com a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim, e eu nele.
57. Como o Pai, que vive, me enviou, e eu vivo por meio do Pai, assim aquele que de mim se alimenta viverá por meio de mim.
58. Este é o pão que desceu do céu. Não é como aquele que os vossos pais comeram – e no entanto morreram. Quem se alimenta com este pão viverá para sempre”.

padrejoaomarcos_sorrindo
“Na Eucaristia, encontramos a presença real de Jesus, em Seu corpo, alma e divindade”, afirma padre João Marcos.
Eucaristia é o mistério de amor de um Deus que amou e ama, por isso quis permanecer junto de nós. Quando Cristo afirma “Isto é meu Corpo, Isto é meu Sangue”, não se trata de algo representativo, mas de uma verdade: comungamos o Corpo e o Sangue de Jesus.
Na Eucaristia, encontramos a presença real de Jesus em Seu corpo, alma e divindade. Comungamos o Cristo Vivo, Ressuscitado, que é alimento para nossa vida e remédio para nossa alma.
Queremos vencer os pecados? Comunguemos constantemente e com o coração aberto, para que assim nosso coração seja transformado. Comungar é permitir que a presença viva do Senhor habite em nós e transforme nossa maneira de ser, agir e pensar. Tomemos posse dessa verdade: recebemos o Deus Vivo em nosso coração.
O maior remédio para as doenças espirituais é a Sagrada Comunhão. Quando comungamos, o Corpo de Cristo, que se torna um só conosco, descontamina-nos. Como temos ido ao encontro de Cristo na Santa Missa? Com que amor temos nos prostrado diante da presença sacramental do Senhor?
A Eucaristia prepara nossa vida para o encontro definitivo que um dia teremos com Cristo. O Senhor faz morada em nós a cada comunhão. Não paremos em nossas limitações, mas comunguemos para que sejamos transformados por Ele.
Ao receber o Corpo Eucarístico de Jesus, não estamos mais sozinhos, temos com quem contar. Valorizemos o que existe de mais belo na Santa Igreja, que é a Eucaristia. Muitas pessoas têm andado sem sentido, pois se norteiam em tudo, menos em Cristo. Sem comunhão enfraquecemos. É a Sagrada Eucaristia que nos fortalece e nos transforma. Quanto mais comungamos, mais abrimos nosso coração para que o Senhor nos transforme.
Padre João Marcos
Sacerdote da Comunidade Canção Nova

Transcrição e Adaptação: Ariele Silva

Fonte: http://clube.cancaonova.com/sorrindo-para-a-vida/a-eucaristia-e-o-alimento-para-nossa-vida/

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...